História do Município

I – Introdução

A história do Município de Bandeirantes do Tocantins teve início nos anos 1.910, quando esta área era apenas um terreno sem nenhuma espécie de exploração; existindo muitas árvores, aves e animais, que hoje são vistas como espécies raras e até mesmo em extinção.

Toda essa área que pertence hoje ao município de Bandeirantes do Tocantins, Arapoema e outros, compreendiam um espaço equivalente a 50 mil alqueires, a qual era conhecida como Fazenda Baixão e pertencia a uma espécie de “Registro Paroquial de Tocantinópolis”, conhecido na época de Bela Vista, Estado de Goiás.

Com as lutas de cidadãos e cidadãs que aqui chegara m e gostaram desta terra achando-a promissora, é que podemos constatar hoje através deste

Livro a sua Trajetória Histórica, passando desde os primórdios da década de 1.915, onde as dificuldades deram forças para que nossos desbravadores pudessem chegar à realização deste sonho: Bandeirantes do Tocantins.

 

                               II – Os Desbravadores (1915 a 1963)

Por volta de 1.915 a 1.925, vieram do Estado do Maranhão, cidadãos que adquiriram aqui um pedaço de terra, para explorarem suas riquezas, pois naquela época, a terra era firme e intocável e as pessoas que chegassem primeiro e ocupasse determinada área seri am donos.

Isto foi o que aconteceu com os desbravadores: Severino Carlos, Izebe Marica, Pedro Grossá, Felipe Grossá, João Grossá, Ludogério, Severino

Pereira, Jorge Rodrigues, Camilo Pinheiro, João Pereira, Cazuza Camilo e outros, os quais começaram esta luta pela sobrevivência, sendo que muitos desistiram posteriormente, pois as dificuldades eram enormes, principalmente pela falta de meios de transportes.

Nesta  época,  a  então  Fazenda  Baixão  passara  a  perte ncer  ao Município de Filadélfia, mas logo em seguida passou para Diamantina, conhecida como Pau Seco.

Em 1.952, encontrava-se também nesta região, a qual era denominada de Três Ranchos, os Senhores Zé Rosário e Antonio Góis, e a família Cícero Carneiro, os quais também desbravaram esta terra passando pelas maiores dificuldades, pois não tinham estradas para transportar seus mantimentos. As compras que faziam em Balsas – Maranhão, eram feitas somente pelos companheiros que tinham tropas, e o trajeto demorava 30 (trinta dias) para ida e volta.

De 1.958 a 1.960, o Senhor João Afonso Borges, advogado conhecido como professor dos advogados em Goiás, um homem muito rico e dono de 10 mil alqueires de terra em seu Estado, o qual necessitando daquela área para expansão do progresso propôs trocar os 10 mil alqueires de João Afonso por 50 mil alqueires da Fazenda Baixão, pertencente ao também estado de Goiás.

Foi nesta ocasião, por volta de 1.963, que o Senhor João Afonso Borges, solicitou ajuda ao Senhor Siqueira Campos, Zé Venâncio e Oliveira

Paulino, juntamente com outros homens de confiança, no sentido de tomarem providências quanto a negociação das terras recém a dquiridas, pois o então dono pretendia demarcar toda a área adquirida, afim de possíveis vendas aos Pioneiros que haviam tomado posses de tais terras.

E nesse intuito, o Senhor João Afonso Borges, autorizou ao Senhor Siqueira Campos que vendesse para quem pudesse comprar e aos que não podessem, desse um total equivalente a 20% (vinte por cento) da área a quem tivesse direito de posse.

E assim, o Senhor Siqueira Campos adquiriu grande parte das terras da Fazenda Baixão, principalmente esta área onde hoje pertence às terras patrimoniais do Município, a qual passou a ser denominada Fazenda Vale das Cunhas; realizando o grande sonho que carregava, conforme dissera em uma de suas falas ao grande amigo Senhor Cícero Carneiro: “_Irei fazer deste lugar uma cidade”, o qual sem acreditar que o sonho se tornaria realidade respondeu entre sorrisos: “_Só se for de capim”, pois era somente o que existia aqui naquela ocasião.

                                                III – Abertura da BR-153 e ligação à cidade de

Bernardo Sayão (1960 – 1962)

Em 1960/1961, houve a abertura da BR-153 e posteriormente em

1962, à ligação da mesma à cidade de Bernardo Sayão para a criação da citada cidade, a qual recebeu este nome em homenagem ao grande Engenheiro e desbravador carioca da Obra – Bernardo Sayão, sendo que tão logo à abertura da cidade, à Empresa de Ônibus Rápido Amazonas LTDA/Araguaína, passou a fazer linha na região, permanecendo até hoje com tais serviços.

Com certeza, a abertura desta estrada despertou o interesse de empresários que já estavam interessados a investir na região e aproveitando a oportunidade, o Senhor Siqueira Campos começava a cumprir a promessa que fizera um dia; boa parte das terras que conseguira comprar e alojar foram vendidas a empresários interessados nesta região e uma outra parte passou pertencer a ele próprio, como é o caso das terras da Indústria INCOPEL, a qual era sócio.

 IV - Instalação da Indústria INCOPEL (1963 -1965)

Por volta de 1963/1965 o ilustre Senhor Homero de Oliveira Teixeira e família, vindo do Estado do Paraná, juntamente com os Senhores Roldão, Paulo Sidney (irmãos da Senhora Amélia Zambon Teixeira), Beijamim Zambon (tio) e Agenor Meneghuel (primo), sócios do Senhor Homero e de Siqueira Campos, montaram aqui uma Indústria de beneficiamento de Madeira chamado INCOPEL – Indústria e Comércio Pecuária LTDA, dando assim emprego para muitos cidadãos que já residiam aqui e para outros que che garam do Paraná, como é o caso do primeiro mecânico, senhor Rogério Leite Ferri e até mesmo de outras regiões do País, aumentando assim a população e viabilizando o progresso, sendo que posteriormente o Senhor Homero de Oliveira Teixeira passou a ser dono único da Indústria.

Com certeza, o embrião deste Município de Bandeirantes está com a instalação desta Indústria, pois o próprio nome é pelo fato de que o Senhor Homero de Oliveira Teixeira residia numa conhecida cidade do Norte Paraná chamada Bandeirantes.

Com a grande concentração familiar na Indústria INCOPEL, a região começou a tomar um aspecto de povoado, tornando-se necessário à implantação da Primeira Escola da região, conhecida como Escoli nha Dona Regina (nome da mãe de Siqueira Campos), tendo como primeira professora a Senhora “Mariazinha”, como era carinhosamente chamada, a qual veio da cidade de Arapoema para prestar tais serviços à população, e posteriormente as Senhoras Geralda e Helena Sousa de Paula, mulheres de garra que muito fizeram pela educação desta gente.

Destaca-se também nesta passagem, a criação de benfeitorias com movimentações comerciais nas dependências da INCOPEL para atender as necessidades dos trabalhadores e de toda a comunidade que se formava nos arredores, onde entre elas pode-se notar as seguintes:

 

  • 1ª Olaria para realização das moradias;
  • 1ª Usina de Beneficiamento de arroz;
  • 1ª Marcenaria, onde eram confeccionados os móveis(existentes até hoje na residência da Senhora Amélia Zambon);
  • 1ª Oficina Mecânica;
  • 1º Açougue;
  • 1º Armazém secos e molhados;
  • 1ª Farmácia, tendo como primeiro farmacêutico o Senhor Divino de Colinas, aonde as pessoas dos arredores chegavam para serem atendidas em redes;
  • 1ª Penção;
  • 1º Motor de Abastecimento de Energia Elétrica;
  • 1º Campo de avião;
  • 1º campo de futebol, entre outras benfeitorias.

 

Nesta ocasião, foram também realizadas as primeiras missas com Padres que vinham de Conceição do Araguaia – PA e posteriormente com Padres de Araguaína e de Tocantinópolis, onde podemos citar Pe. Remijo, o qual vinha até aqui numa viagem cansativa (a cavalo), Pe. Augusto, Pe. Pedro, Pe. Antonio Francisco, Pe. Rui, Pe. Nilson, Pe. Geovane, Pe. Matteo e outros e a Senhora Amélia Zambon, desenvolvia um trabalho de catequizar os filhos dos moradores da INCOPEL, como também as demais crianças da região, além de incentivar o lado social da comunidade oferecendo cursos, citando entre eles o 1º Curso de Corte e Costura, efetuado pela professora Gercina Mendes Araújo.

V – O Quebra-galho

Em função desta movimentação, aos arredores da Indústria, começou a se formar um pequeno Vilarejo, que mais tarde passou a se chamar Quebra-galho, onde residiam Produtores Rurais e Prestadores de Serviços em geral que chegavam em busca de um trabalho na Indústria, e como esta já estava super lotada, pois por volta de 1975 acolhia aproximadamente 150 trabalhadores com suas famílias; assim, o Senhor Homero, aconselhava-os a ficarem quebrando um galho enquanto aparecia uma possibilidade de fichamento na INCOPEL, conforme dizia o Senhor Homero em uma de suas falas: “Trabalhem e quebrem um galho ali à frente, enquanto aparecem melhorias para firmar moradia”.

                                  VI – Os primeiros prestadores de Serviços

Comunitários

Destaca-se nesta passagem alguns dos primeiros prestadores de Serviços Comunitários à população de Bandeirantes, onde podemos citar o saudoso Farmacêutico, o Senhor Osvaldo Pimenta da Silva, as saudosas parteiras Dona Isaura e Dona Maria Parteira, como também o Senhor Francisco Resplandes Rocha – o popular Chico Pote, das Senhoras Vicença Antonino da Silva – Líder Religiosa e Marta Fernandes da Rocha – Professora e Líder Religiosa, Frederico Ferreira Barros – Funcionário Público da Saúde, e demais pessoas de bem que muito fizeram por este povo e que continuam nas memórias da comunidade, principalmente daqueles que foram beneficiados com tais serviços.

                  VII – Povoado Nova Bandeirantes

Com o passar dos tempos, o então Quebra-galho vai crescendo e passa a ser o Povoado Nova Bandeirantes, o qual ficou vinculado ao Município de Arapoema, emancipado em 07/11/1963, sendo nomeado o primeiro Prefeito o Saudoso Antonio Carneiro de Sousa Neto em 09/01/1964 e posteriormente o Sr.Augusto Lustosa, em 17/12/1964.

Somente em 03/10/1965, aconteceu a lª Eleição parao Município de Arapoema, sendo Eleito pelo Voto direto o Dr. Osório Ribeiro de Aquino e assim sucessivamente, conforme Anexo da Trajetória Política de Arapoema, afinal, a sua história é a nossa história também.

Pertencendo ao Município de Arapoema - GO, Nova Bandeirantes começava a ganhar benfeitorias para a melhoria de vida de seu povo, na qual destaca-se as seguintes:

  • Instalação do Posto Telefônico em 1987, o qual funcionava com o prefixo de Colinas, com o número 063-3476-1165 , tendo como primeiras telefonistas as Senhoritas Eliete Maria Alves, Shirley Lúcia dos Santos e outras; Instalação    da    rede    de    Abastecimento    de    Água  em – Saneatins em 1996, uma conquista do também Bandeirantense e Líder Político, o Senhor Osmar Gomes de Souza;
  • Implantação da Sub-Delegacia de Polícia;
  • Torre de Antena – Canal Globo;
  • Criação da Escola Municipal Nossa Senhora da Conceição,onde destaca-se os trabalhos das Senhoras Railda Bindala e Jorcelina Tavares;
  • Criação da Creche Pré-Projeto Bandeirantes em 22/08/1987 pela Visão Mundial, com auxílio da Irmã Augusta Cul po (Itália), com a participação da Senhora Marta Fernandes da Rocha - Coordenadora do Projeto e demais pessoas da Comunidade, formando assim a primeira Associação Comunitária de Bandeirantes (Laços de União), o qual dava suporte para a realização deste benefício que acolhia aproximadamente 200 crianças carentes, oferecendo aos mesmos e às famílias, incentivo, informações, palestras, educação, lazer, alimentos, cursos profissionalizantes e outros;
  • Entre outras lutas e conquistas.

VIII – Vila Boa Esperança e Outras

Benfeitorias

Em Outubro de 1984, o Ministério da Saúde implanta em Nova Bandeirantes o Posto de Saúde da Fundação SESP, onde o Ministério denominou-o de Unidade de Saúde Vila Boa Esperança, no qual a comunidade teve o privilégio de ser atendido pelo querido e eficiente Dr. Iron Marques da Silva, pela Visitadora Sanitária Eliane e pelo Auxiliar de Saneamento da Fundação, o Senhor Marques Inácio de Moura, que teve sua marca registrada nos anais históricos desta cidade, não somente na á rea da saúde como também na área comunitária, pois foi um dos principais integrantes na luta pela realização de um sonho da comunidade a instalação da Rede Elétrica que se tornou realidade em 1985/1986, a qual só foi possível pela influência e existência da Colenda INCOPEL, pois na área urbana de Bandeirante s não existia o total de residências necessárias para tal beneficiamento, participando também de uma conquista na área educacional sendo o primeiro Diretor da Escola Estadual Arcelino Francisco do Nascimento, a qual foi criada pela Lei Municipal nº 131/80 de 02 de junho de 1980, mas só começou a funcionarem 1985, com a Portaria nº120/85, aprovada pela Superintendência de Assuntos Educacionais, que autorizou a implantação das Séries Iniciais de 1ª a 8ª Série, através da Portaria 007/89, obedecendo a Estrutura Curricular nº 036/89 da CEE, conforme a Resolução 031, sendo que em 1994, foi implantado na referida escola o 2º Grau, vindo o Projeto Some - Magistério “Sistema de Organização Modular de Ensino”, posteriormente o Projeto Fique Ligado em 2000 e por último o Ensino Regular, este em vigor até o momento, atendendo atualmente a clientela da “Educação Básica, Ensino Fundamental de 1ª a 8ª Série, EnsinoMédio e uma sala do Programa de Alfabetização – Se Liga (1ª, 2ª, 3ªªe 4Séries) – Acompanhado pelo IAS – Instituto Airton Senna”.

 

IX – As primeiras Lideranças Políticas

Bandeirantense

As primeiras Lideranças Políticas de Bandeirantes merecem um destaque muito especial, pois foram os primeiros a lutarem politicamente para que os cidadãos Bandeirantenses tivessem uma vida de melhor qualidade, pois naquele tempo em que Bandeirantes pertencia a Arapoema, tudo era mais difícil, visto que as benfeitorias eram de privilégio da sede municipal, como é de praxe em qualquer município.

Ante ao exposto, destaca-se o primeiro Vereador a defender esta terra: O Saudoso Osvaldo Pimenta da Silva, homem forte de personalidade resistente, solidário e até mesmo brincalhão, que m uito fez por esta comunidade; não somente na área política, mas principalmente na área da saúde, pois conforme citado anteriormente destacou-se como farmacêutico a cuidar da saúde deste povo. Osvaldo foi eleito em 15/11/1982 e legislando de 1983 a 1989, e infelizmente faleceu em 20/07/1990, mas sua passagem nesta terra continua viva nos anais históricos desta gente, bem como nos corações de cada cidadão.

Destacam-se também, os Senhores: Moisés Leite Moura, Daniel Borges, Flausino e outros homens de lutas políticas, que apesar de não terem sido eleitos para Legislaturas têm suas contribuiçõ es para o progresso deste Município. Posteriormente, vieram outros homens e “mulher” de bem; lideranças Políticas que também muito fizeram e fazem em prol de suas comunidades, buscando sempre melhorias de vidas para seus munícipes, com propostas e sonhos esperançosos, mostrando que o sangue político e a vontade de crescer e vencer era enorme entre seus habitantes, destacando-se assim os seguintes Legisladores:

 

Legislatura – 1989/1992 (Arapoema):

Ver. Antonio José da Silva – Representante da Região do Jardim

Ver. Marinho Fernandes da Cunha - Bandeirantes

Ver. Gustavo Antonio Tavares – Bandeirantes

 

Legislatura – 1993/1996 (Arapoema):

Ver. Antonio José da Silva – Região do Jardim

Ver. Coraci Lima Marques – Brasilene

Ver. Marinho Fernandes da Cunha – Bandeirantes

Ver. João Xavier da Costa - Bandeirantes

Ver. Fernando Célio Porto Carneiro - Suplente que assumiu em lugar do Ver.

Marinho Fernandes da Cunha.

 

X – A luta pela Emancipação Política

O desejo de independência política foi infiltrando na vida e nas manifestações de muitos cidadãos que aqui foram ade ntrando e vendo as riquezas desta região e dentre esses, citamos o sau doso Francisco Divino Vasconcelos, popularmente conhecido como o Senhor Chico Butelo, que chegou aqui nesta região no dia 06 de Abril de 1991, vindo de Fátima – TO, onde também marcou página na história política daquele Município e tomou nas mãos esta bandeira, lutando como verdadeiro Capitão para venc er a batalha.

Muito fora às caminhadas e manifestações de Chico Butelo no meio político Estadual na Campanha para a Emancipação política de Bandeirantes, pois o POVO BANDEIRANTENSE sonhava com um município independente com rendas próprias para assim melhorar as vidas desta gente tão sofrida.

 

              XI – A conquista: Emancipação Política (1994)

Com a graça de Deus, com trabalho honroso dos Pioneiros, em 03 de Outubro de 1993, o sonho de muitos (até mesmo do 1º Governador do Estado, Senhor José Wilson Siqueira Campos), foi então tomando corpo e se tornou realidade com a realização do Plebiscito; criando assim o Município de

Bandeirantes do Tocantins pelo Decreto Lei 685/94 (Anexo Municipal), sancionado em 26 de Maio de 1994, pelo então Govern ador do Estado, Excelentíssimo Senhor Moisés Nogueira Avelino.

Em 1996, ouve a 1ª Eleição para a escolha de Prefeito e Vereadores do Município, estando disputando os senhores: Francisco Divino Vasconcelos e Gustavo Antonio Tavares (PMDB), respectivamente Candidatos à Prefeito e Vice- Prefeito x Osmar Gomes de Souza e Osmar Francisco Gonzaga (PPB) x José Arnóbio da Silva (Pelé) e Rildo Honório dos Santos(PFL); sendo eleito um dos que sempre esteve à frente da luta por essa Emancipação Política, o Senhor Francisco Divino Vasconcelos, homem frágil de saúde já um pouco debilitada devido aos seus problemas cardíacos.

   XII - Legislaturas


1996 - 2000

PREFEITO: FRANCISCO DIVINO VASCONCELOS
VICE-PREFEITO: GUSTAVO ANTONIO TAVARES
VEREADORES:
ANTONIO GOMES DE BRITO
ANTONIO JOSE DA SILVA
CORACI LIMA MARQUES
FERNANDO CÉLIO P. CARNEIRO
FREDERICO FERREIRA BARROS
JOSE ANAIR DA ROCHA
LASTENE DE FATIMA AMARAL DA COSTA
MARCOS MOTA DO NASCIMENTO
MARIA HELENA CARDOSO TAVARES

2001 - 2004

PREFEITO: JOSE ARNOBIO DA SILVA
VICE-PREFEITO: JOSE ANAIR DA ROCHA
VEREADORES:
CELSO BORGE JÚNIOR
CORACI LIMA MARQUES
EVANGELISTA RODRIGUES DA SILVA
FERNANDO CELIO PORTO CARNEIRO
JOSÉ DONIZETE BARBOSA
MANOEL CARDOSO PINHEIRO
MARINHO FERNANDES DA CUNHA
OSMAR FRANCISCO GONZAGA
SORAIA MARIA ROCHA DE SOUSA

2005 - 2008

PREFEITO: JOSAFÁ PEREIRA DE SOUSA
VICE-PREFEITO: MARCOS MOTA DO NASCIMENTO
VEREADORES:
ADVALDO PEREIRA DE SOUZA
CORACI LIMA MARQUES
EVANGELISTA RODRIGUES DA SILVA
FERNANDO CÉLIO PORTO CARNEIRO
FRANCISCO CALÁCIO DOS SANTOS
JOSÉ DONIZETE BARBOSA
LUCIANO GOMES PEREIRA
MANOEL CARDOSO PINHEIRO

 

2009/2012

PREFEITA: CORACI LIMA MARQUES

VICE-PREFEITO: GUSTAVO ANTONIO TAVARES

VEREADORES:

FREDERICO FERREIRA BARROS
ADVALDO PEREIRA DE SOUZA

SORAIA MARIA ROCHA DE SOUZA
SAULO GONÇALVES BORGES
FERNANDO CELIO PORTO CARNEIRO
RAINELTON AIRES PIRES
LUCIANO GOMES PEREIRA
WESLEY RODRIGUES TAVARES
ADALTO NOGUEIRA NEVES

 

2013/2016

PREFEITA: CORACI LIMA MARQUES
VICE-PREFEITO: DEUSDÉLIA DE FATIMA SANTOS
VEREADORES:
ADVALDO PEREIRA DE SOUZA

SORAIA MARIA ROCHA DE SOUZA
SAULO GONÇALVES BORGES
WESLEY RODRIGUES TAVARES
ADALTO NOGUEIRA NEVES
ARTHUR SANTOS CARNEIRO
FAGNER BENVINDO BARBOSA
GENIVALDO CARNEIRO DA SILVA
RONALDO PEREIRA DA SILVA

2017/2020

PREFEITO: JOSE MARIO ZAMBON TEIXEIRA
VICE-PREFEITO: RENALDO MOREIRA BARRETO
VEREADORES:
ADALTO NOGUEIRA NEVES
ADVALDO PEREIRA DE SOUZA

FAGNER BENVINDO BARBOSA
SAULO GONÇALVES BORGES
BEKS GARCIA PIMENTA
FRANCISCO CALÁCIO DOS SANTOS
RAIMUNDA ARAÚJO LIMA
RITA DE CASSIA DA ROCHA
WELKER CARLOS BROMESTE CORREA

(Fonte: Maria das Dores Ferreira da Silva)